Banco Abaporu

Hastes em madeira maciça partem de um triângulo central e crescem suavemente em direção às extremidades, roliças e simpáticas. O banco remete aos bancos caipiras e é o cabeça-de-série da família Abaporu.
Abaporu Coimbra é a versão do banco Abaporu com azulejo no topo do assento e Abaporu J. Borges é uma versão feita em parceria com o xilogravurista J. Borges. O couro que reveste o topo dos banquinhos é feito no ateliê do mestre, em Bezerros, Pernambuco.
J. Borges é um mestre da literatura de cordel, um dos artistas folclóricos mais celebrados da América Latina e o xilogravurista brasileiro mais reconhecido no mundo. O artista ilustrou capas de cordéis, de livros e de discos, e já expôs na Venezuela, na Alemanha, na Suíça, no México e nos Estados Unidos, onde foi tema de uma reportagem no jornal The New York Times, que o apontou como um gênio da arte popular.

REF: banco-abaporu
Categoria Tag:

Sobre o produto

Hastes em madeira maciça partem de um triângulo central e crescem suavemente em direção às extremidades, roliças e simpáticas. O banco remete aos bancos caipiras e é o cabeça-de-série da família Abaporu.
Abaporu Coimbra é a versão do banco Abaporu com azulejo no topo do assento e Abaporu J. Borges é uma versão feita em parceria com o xilogravurista J. Borges. O couro que reveste o topo dos banquinhos é feito no ateliê do mestre, em Bezerros, Pernambuco.
J. Borges é um mestre da literatura de cordel, um dos artistas folclóricos mais celebrados da América Latina e o xilogravurista brasileiro mais reconhecido no mundo. O artista ilustrou capas de cordéis, de livros e de discos, e já expôs na Venezuela, na Alemanha, na Suíça, no México e nos Estados Unidos, onde foi tema de uma reportagem no jornal The New York Times, que o apontou como um gênio da arte popular.


MEDIDAS
Altura: 39 ou 44 cm
Largura: 37 cm
Profundidade: 37 cm


MATERIAIS E ACABAMENTO
Madeira maciça natural.

Não há avaliações ainda.

Seja o primeiro a avaliar “Banco Abaporu”